Internet, a verdadeira Besta das crônicas apocalípticas

Quem lê o título acima pode pensar que estou me tornando um blogueiro sensacionalista que aproveita a onda de histeria coletiva para arranjar algumas visitas a mais para este site. Em parte, teriam razão, pois esse assunto trepida sobre a corda-bamba do Inconsciente Coletivo como a nos provocar a queda.

A Elite que domina esse planeta sequer disfarça a sua identificação com alguns personagens apocalípticos, seja para infundir medo aos desavisados dos pastos humanos, seja para ridicularizar a todos, de uma só vez. Todos esse “sinais” começaram a tomar mais vulto com o advento da internet, essa misteriosa rede que não faz cerimônia ao abarcar a todos de forma, por vezes, compulsória.

E eis que quase compulsórios é portar, hoje em dia, celulares “espertos” (smart phones) e computadores! Quanto mais dispositivos interligados à rede, melhor! Obviamente, para dominar as massas, basta-lhes ideologias várias e opostas. Em nome da “paz”, defensores de ideias opostas toleram-se, sem jamais unirem-se.

Porém, algo a mais é necessário. Após fazer-se com os seres humanos se matem, a si mesmos e ao próximo, é mister que levem-no a entregarem, de forma dócil, suas mentes para a final unificação em nome da “paz mundial”. Quando a Elite diz a palavra “paz” em relação às massas, fala de calmaria no corredor da morte. Uma escravidão brutal e silenciosa, em uma prisão sem grades, sem que ninguém consiga chocar-se mais com o que é desumano.

As desordens no mundo são estimuladas para que, ao fim e ao cabo, até mesmo a pretensa liberdade humana seja suprimida, sob o pretexto de que os seres humanos usam a liberdade como arma de agressão. O direito (jamais pleno) de livre expressão do pensamento será suspenso sob a alegação de que o povo espalha, de forma “livre”, apenas o que eles apelidam de “discurso de ódio”. O direito à Vida será sumamente extinto, pois, como questionava Madre Teresa de Calcutá, “como diríamos aos homens pecadores para que não se matem, se permitimos que as mães matem seus filhos indefesos em seus ventres, transformados em cemitérios“?

A internet é governada por alguns órgãos inatingíveis pela maioria dos países, provavelmente integrados por grandes potentados militares. Um cérebro central, formado por servidores de dados numa gigantesca rede neural, dotado com computadores quânticos e equipamentos ultravelozes, direciona dados, monitora a vida pública e privada de todos os bilhões de reses do gado do planeta que “importam” à Elite e manipula a tudo e todos. O olho-que-tudo-vê, das sombras do núcleo de sua egrégora obscura, manifesta no mundo físico através da rede mundial de computadores.

Também obrigou a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receberem certa marca na mão direita ou na testa, para que ninguém pudesse comprar nem vender, a não ser quem tivesse a marca, que é o nome da besta ou o número do seu nome.

(Apocalipse 13: 16, 17)

Em breve, realizando as mais terríveis predições do livro do Apocalipse, os seres humanos “não poderão comprar ou vender sem ter a marca” da conexão com o cérero central, que é a internet, a grande Besta do Mar, enquanto sistema financeiro é a Besta da terra. O Estado mundial do futuro (ou Governo Único Mundial) será controlado pela internet. Não haverá guerras, senão aquelas lutadas pelos robôs assassinos dos filmes do Robocop e similares. O Estado, e ainda mais se operado pela internet (para o qual o delito de opinião será penalizado com a expopriação, exílio e morte) é o grande Leviatã descrito por Thomas Hobbes.

E notável para muitos — e me incluo entre estes — que as relações virtuais potencializam as ligações telepáticas. Porém, pensando bem, se nossos cérebros funcionam por transmissão de ondas eletromagnéticas, qual não seria a nossa surpresa se descobríssemos que todos os nossos pensamentos estão em posse da Besta que envolve a todos e em todos os lugares! As relações humanas se tornam esparsas, puramente imagéticas e com concretude em pouquíssimos aspectos. É mais fácil enfrentar a fúria de um amigo à distância do que a tarefa de abraçá-lo e se comprometer com ele, de verdade, ao vivo e a cores.

A natureza humana física é substituída, no cuidado de nossos pensamentos, pela “imagem da Besta”, a sagrada imagem do que é fugidio e automático, Hoje, é fácil apertar a tecla delete no teclado e puff, lá se foi um “contato”. Amanhã, o botão para desligar o aparelho de suporte à Vida, que ampara um idoso, não parecerá tão repugnante. A Besta tornará o ser humano em algo desumano ou, como dizem algumas pessoas, pós-humano.

Guardem isto que vou falar: Não demorará até que nos digam que matar uma criança é um ato de caridade (para evitar que passe fome no futuro) ou para que declarem que apenas é livre o homem que se mata.

Anúncios

4 Replies to “Internet, a verdadeira Besta das crônicas apocalípticas”

  1. Muito interessante tbém é esta abordagem para além do ‘espiritual’…transitando para a lgg computacional…

    Vc assistiu ao filme ’13º andar” ?

    Fiquei impressionada com a abordagem da matrix e dos universos paralelos no filme 13º Andar (recomendo!); ele apresenta – DIDATICAMENTE – como fazemos parte (da figuração) de um jogo (holográfico) de computador, qdo “somos desligados” (morremos) em determinado universo paralelo, nossa consciência é automaticamente transferida para outro universo paralelo (outra realidade dentre milhares que existem); Parece-me bem possível, pois responderia questões como as diversas habilidades inatas em muitas pessoas que jamais cursaram para tê-las, certo?
    E excluiria, definitivamente, a ilusão de um tal deus etc e tals. Mas, nessa abordagem, sequer passamos pelo tal túnel de luz? Uma teoria aborta a outra ou não? Qual sua opinião?

    A “Religião das Máquinas” no Filme “13° Andar”

    http://cinegnose.blogspot.com.br/2011/12/o-sucesso-de-critica-ede-publico-de.html

    http://www.screamyell.com.br/cinema/13andar.html

    http://filmesonlinehd.evid.mobi/13o-andar-dublado/

    http://assistirhdonline.net/fico-cientfica/513-13-andar.html

    Por favor, veja este caso:

    O rapaz desapareceu, entretanto, deixou várias msgs no quarto e um pôster, (veja anexos e acessando o link, assista ao vídeo…).

    O que lhe parece?

    Lembrei daquele filme antiguinho: UMA MENTE BRILHANTE:

    Em inglês: A Beautiful Mind,um filme estadunidense de 2001, do gênero drama biográfico, dirigido por Ron Howard, sobre a vida do matemático John Forbes Nash.

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Uma_Mente_Brilhante_(filme)

    Curtido por 1 pessoa

    1. Sobre a primeira questão, Kedja: Como no experimento da dupla fenda, a única realidade que existe é a que o observador foca. Ou seja, a realidade só existe enquanto ele a observa. É a observação que a torna real. Por exemplo: embora as imagens focadas pelos mais de 800 micro-olhos de uma abelha formem uma imagem para a abelha (enquanto UM ente), cada uma das imagens é a realidade para cada um dos olhos.

      O que quero dizer? Por um exercício de lógica, há várias realidades; porém, na prática, para cada um de nós, só existe a que conseguimos focar. E mesmo que tivéssemos certeza de que há outros universos, ainda assim a teríamos dentro de nossa perspectiva de realidade. Não, as duas teorias não se contradizem, mas uma nasce em decorrência da outra. Só podemos admitir mais realidades porque sabemos, por apenas uma, qual o conceito de realidade. Realidade é aquilo que você pode observar, sentir e registrar através da memória. Bonecas russas, touchet!

      Curtir

  2. Júlio, sobre a ‘MARCA DA BESTA’, podemos dizer que já vivenciamos isso com a ditadura bancária, não? Praticamente todos têm uma conta (exceto quem vive à margem da sociedade ou que convive em família com quem mantém vínculo com algum banco); pois para receber, os salários (principalmente das gdes corporações) QUE SÃO DEPOSITADOS! Usam-se cartões de débito e de crédito para compras em pq e gdes supermercados e comércio em geral; então A MAIORIA JÁ PRATICA/TEM A MARCA DA BESTA, certo? O q vc pensa a respeito?

    Já em relação à dupla fenda, que vc menciona, confesso que ainda não assimilei bem esse entendimento…

    Curtir

    1. Dupla Fenda: experimento que deu origem a uma revolução da Física (na verdade, a fundação da Moderna Física Quântica). Procure no Youtube algum vídeo de sua preferência.

      Marca da Besta, enquanto instrumento de controle, é apenas uma transição. Quando, enfim, “adorarem” a Besta (cérebro central digital), aí ninguém mais pensará e seremos transumanos (como que ciborgues controlados a distância). Robocop e Exterminador do Futuro são apenas aperitivos.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s